23 de fev de 2011

O Guerreiro Gengis Khan





Escravo.Guerreiro.Imperador.

Filmes épicos enraizados em um fundo histórico são praticamente incontáveis. Cada um possui seu apelo, mensagem e conhecimento fixados em um roteiro elaborado. E, no meio de tanta variedade talvez devêssemos ressaltar " O Guerreiro Genghis Khan" ( ou simplesmente "Mongol" no original), filme do diretor russo Sergei Brodov.

A razão que me leva a destacar esse filme e redigir o artigo não se restringe ao fato de ser uma produção russa realizada na Mongólia ou ter recebido indicações ao Oscar. Também não é porque o filme épico possua cenas impactantes e conflitos políticos. A razão é por se tratar de uma obra sobre uma das figuras mais importantes e memoráveis da história.

Genghis Khan, eu creio que todos conhecem ou ao menos ouviram falar. Mas, e Temudgin? Certamente ninguém conhece e não fazia idéia de que esse homem pudesse vir á se tornar o líder de todos os Khans e uma figura capaz de dominar metade do mundo.

E é disso que o filme de Bodrov fala. Filmado nas belas paisagens da Mongólia, conhecemos não o temido exército e vasto império de Genghis Khan. Conhecemos sim, como um garoto tratado feito escravo tornou-se um guerreiro notável e posteriormente um incontestável ditador.

Com o auxílio direto e indireto das pessoas certas, sabedoria, habilidade estratégica, perseverança, a devoção e compreensão da esposa e talvez até uma ajuda divina, Temudgin traçou seu caminho para a unificação do império mongol.



O filme em si retrata essa trajetória épica de uma forma envolvente sob a atmosfera da antiga tradição asiática. Através dos olhos de Temdudgin conhecemos o regime das aldeias mongóis e a forma como os acordos de honra eram cumpridos. Entretanto, além das batalhas e relatos, a obra ressalta (talvez com um sutil romantismo exagerado mas ainda assim agradável) a relação de Temudgin e sua esposa. Por amor ambas partes arriscam suas vidas e é ela a que mais surpreende com sua coragem e atitude, provando o ditado de que "por trás de todo grande homem existe uma grande mulher".

Com maestria o filme nos faz conhecer o homem por trás do mito. E as figuras de linguagem, a metáfora com base na tradição mongol, a fidelidade ao dialeto referente ao mesmo e as informações históricas enaltessem o conto.

Genghis Khan foi, sem dúvida, uma existência única. E, como o sábio profeta que o acompanhava de longe, sabia que atrás daqueles olhos havia um homem verdadeiramente imortal. Como não podia deixar de ser, a mensagem do filme está presente em um antigo (e talvez profético) provérbio mongol:

" Nunca subestime um filhote raco. Ele pode tornar-se um tigre brutal."

~*~

18 comentários:

Haru-Sama disse...

muito bom seu blog! =D

http://haruisdrawing.blogspot.com

Sandro Honorato disse...

Nem sabia deste filme.
Depois desta resenha,faço questão de assistir xD

Beijos Tsu

Andre Mansim disse...

Vou assistir sem falta, gosto muito de filmes assim...
Vc assistiu Coração de Cavaleiro?
Não é épico mas trata da idade feudal, achei muito bom...

Láh/ disse...

Oi Tsuuuu!!!

Haha, eu sempre choro em filmes épicos, por isso eu tento me privar deles! x)

Jim Carbonera disse...

mais um pra minha lista pra assistir!

Aquela foto parece do joguinho assassinos creed!

:P

Bjao

http://www.estilodistinto.com/

Ana disse...

Esse filme ainda não vi... Gosto de épicos, pq a gte passa a conhecer fatos históricos e até a cultura de outros países. =)

Bjs ;)

Manfio disse...

sou um grande fã de filmes épicos, mas nem fazia idéia de que tinha sido lançado esse filme.
mais um na lista de filmes que devo assistir!

Sandro Honorato disse...

Opa,sou eu mesmo na foto *-*
VVou fazer colocar um "slideshow" no meu blog com as minhas fotos....ninguem me conhece kk

Beijos

- TwoSave disse...

nunca tinha ouvido falar do filme,

Mas parece ser legalzinho


Quando der, assisto '-'

William disse...

Olá Tsu,
Eu vou dizer só uma coisa rápida sobre esse seu texto do filme Genghis Khan: "Puta Texto!!!"
Depende de quem lê isso, por causa da região onde mora, possa soar negativo. Mas não é. Esse "puta texto" é porque foi muito bom.
Pouca gente do lado de cá do planeta, desconhece o país maravilhoso que é a Russia, mesmo recheada de problemas sociais e políticos que estão no país. Talvez por causa de meus ideais políticos, tenho a Rússia como um país símbolo de uma geração que buscou lutar por uma sociedade mais justa e igual, mas infelizmente alguns líderes erraram em suas atitudes.
Mas bem lá atrás, teve Genghis Khan, retratado brilhantemente no filme e em sua resenha.
Grande postagem

Beijo

Manfio disse...

é, gosto bastante de filmes épicos e tudo relacionado a idade média, temas medievais e etc.
Cruzada e Gladiador eu já assisti, dois filmes muito bons mesmo. Coração Valente e Peste Negra ainda não tive a oportunidade de assistir, mas duas indicações para minha lista xD.

Tsu disse...

Oi pessoal!!
Eu já comentei devidamente no lbog de cada um e não vou conseguir postar aqui por conta disso u.u (a chefia tá supervisionando o acesso á net do trampo rs)

Mas já que ninguém asistiu o filme, eu recomendoi que vejam porque vale á pena.

E sim William, eu também aprecio muito a Rússia embora não entenda muito o lance político deles...pelo menos no passado eles tiveram um poder tal que ninguém os enfrentava. Hitler e Napoleão tentaram e foram consumidos pela maior arma da Rússia: o inverno.

Felipe Santos disse...

É
... Genghis Khan foi bom...
Mas é claro que em comparação com outro grande império, o Persa ele perde pro Xerxes em territorio conquistado.

... Se bem que... o Xerxes perde muito do seu exercito, tomando uma lavada dos Espartanos na batalha das Termópilas... Mas isso não vem ao caso...

Boa recomendação, já esta na minha lista de filmes não assistidos...
o/

Anônimo disse...

Oi trata-se a 1ª vez que encontrei o teu blog e gostei imenso!Espectacular Trabalho!
Até à próxima

Horo-chan disse...

Seu blog é muito bom, concordo em 99%

para mim o ditado deveria ser "ao lado de uma grande homem, existe uma grande mulher"

pq tem que ser por trás ? xD aheuaheu



bjs

Tsu disse...

Opa obrigada por terem curtido o blog!!!
Valeu mesmo!!!

Isso me incentiva a continuar o/

Narnian Queen disse...

Belo artigo, Tsu!! Fiquei com vontade de assistir a esse filme, parece realmente ser muito bom!!

Ontem no painel de "The Seventh Son" na Comic-Con comentaram que tanto o Ben quanto o Jeff Bridges aceitaram trabalhar com o Bodrov depois de assistirem a esse filme, o Ben até fez um elogio a ele. Mais um motivo pra eu assistir! :)

Beijos!

mybritishdelight.blogspot.com

Marcello Salvaggio disse...

Interessante vc ter escrito sobre esse filme, que vi há alguns meses. E bem romanceado, mas gostei bastante, afinal sou da opinião que nem o cinema e nem a literatura precisam seguir fielmente a história. Até porque estamos longe de uma visão precisa sobre diversos períodos e povos. Os mongóis são um desses casos. Interessante ser um filme russo, porque até hoje na Rússia a "questão mongol" é um assunto delicado. Há sempre quem discuta se o domínio dos mongóis no país foi um atraso, se provocou um distanciamento da Europa, levantadas questões sobre como a Rússia teria se desenvolvido se a "Rus" de Kiev não tivesse sido arrasada pelos mongóis. Pra quem se interessa tanto pela Rússia como pelos mongóis recomendo este artigo:

http://www.sras.org/the_effects_of_the_mongol_empire_on_russia

Confira Também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...