5 de abr de 2011

FanFics Naruto - Caos no Velório - parte 3


 ~*~

Sentados em um banco do jardim, estão Oorochimaru e Kabuto. Cruzavam e descruzavam as pernas constantemente, em clara demonstração de impaciência.

- Que horas são?

- Treze e vinte, Oorochimaru-sama.

- Droga! Já era para começar essa porcaria de velório, vamos acabar nos atrasando para os outros compromissos!

- O senhor poderia ir dar alguma palavra de consolo para a viúva e convencê-la a apressar o velório.
Oorochimaru observou a senhora Uchiha sendo consolada de uma forma "estranha" por Genma.

- Alguém já a esta consolando.

- Ora... - Kabuto piscou. - Tenho certeza de que ela lhe dará atenção se o senhor usar sua lingua nela. - Oorochimaru o encarou. - Não é "essa" língua, estou me referindo á lábia!

Silêncio. Kabuto decidiu, por fim.

- Já que teremos de esperar, vou pegar um pouco de amendoins para comer.

Mal ele se afastou, Tsunade se aproximou, sentou no banco, tirou os sapatos de salto e estendeu os pés na grama com um gemido de alívio.

- Ai, esses sapatos estão me matando...não pensei que você apareceria no velório do Fugaku. Vocês nunca se deram bem.

- Vim á trabalho. A viúva me convenceu depois de congestionar minha secretária eletrônica e minha conta de e-mail , para presidir o funeral do marido.

- Exploração dos lendários sannins...essa deve ser uma técnica da senhor Uchiha. Eu sou obrigada a ser a médica particular dela para compensar uma dívida de jogo!

- Era para o velório já ter começado! - resmungou Oorochimaru. - Tenho mais compromissos e não posso me atrasar!

- O velório só pode começar quando todos tiveram aqui, é uma exigência da viúva. E o Jiraya ainda não chegou.

Oorochimaru revirou os olhos. Jiraya sempre tinha o dom de complicar e atrasar as coisas, era assim desde que eram gennins.

- Estou com sede. - falou Tsunade. - Vamos procurar alguma coisa alcoólica para beber?

Oorochimaru deu de ombros, aceitando. Assim que se levantaram, foram abordados por Shino Aburame, que ostentava um semblante preocupado.

-Tsunade-sama, que bom encontrá-la! Gostaria de pedir que examinasse algo para mim. - ele arregaçou a manga do blusão e estendeu o braço, que estava repleto de manchas vermelhas. - Há uma semana estas manchas subitamente começsram a aparecer em minha pele e já se espalharam por todo o meu corpo. Elas coçam, ardem e incomodam e ninguém soube me dizer o que era. Poderia me dizer? Estou proeucpado.

Tsunade emburrou. Até em um velório tinha gente a aporrinhando com suas doenças só porque ela era médica. Olhou rapidamente para as tais manchas e falou, com normalidade.

- Isso é alergia provocada por algum tipo de inseto que andou por sua pele. Vamos, Oorochi. Preciso de uma dose de saquê.

Enquanto eles se afastavam, Shino mantinha-se estático, tomado pelo espanto.

- Insetos? Eu sou alérgico á...insetos?!

~*~
Quando Sasuke surgiu no corredor do segundo andar com passos duros, Itachi estava terminando de pingar colírio em seus olhos.

- O que aconteceu? Você parece agitado.

- Acredita que a Kurenai está aqui? Ela veio me falando um monte de absurdos! Aquela mulher quer provar que tem sangue Uchiha só pra conseguir privilégios!

Itachi não retrucou. Era melhor que ninguém soubesse - muito menos o tal Asuma - que Kurenai uma vez invadira seu camarim após um show e...bom, certas coisas era melhor permanecerem ocultas. Melhor Kurenai querer provar que era filha de Fugaku (mesmo que não fosse) do que extorquir dinheiro e fama dele por uma consequência impensada "daquela" vez...

- Nii-san, preciso falar mais uma coisa. - Sasuke começou. - Todos os preparativos do velório foram feitos com as minhas despesas, então depois você tem que me cobrir metade dos gastos.

- ...mas eu depositei uma quantia considerável em sua conta após o falecimento do papai para ajudar nas despesas funerárias.

- Sim. mas a mamãe veio com a idéia de que era preciso fazer um funeral á altura do clã Uchiha e...você sabe que quand0o a mamãe coloca uma idéia na cabeça, não há nada que a faça mudar de idéia!
Itachi concordou com um manejo da cabeça.

- Certo. Mas eu não tenho dinheiro agora, pagarei depois.

- Não tem dinheiro? Você é o vocalista da banda Akatsuki, essa semana deu uma entrevista no programa da Ophrey e vai entrar em turnê! Como assim vem dizer na cara de pau que "não tenho dinheiro" ?!

- As coisas não são fáceis como pensa! Você não imagina a burocracia que o Kakuzu e o Madara inventam para liberarem a grana!

- Está bem, resolvemos isso depois! Pelo menos me ajude com o dinheiro para pagar a banda.

- ...que banda?

- Mamãe quis que tivesse alguém para tocar a marcha fúnebre eu na última hora tive de ligar para um grupo que vi tocando quando fui em um restaurante outro dia com a Sakura.

Itachi balançou a cabeça, incrédulo enquanto Sasuke continuou.

- A banda aceitou porque eles estão precisando de dinheiro. Mas eu aproveitei porque vi que eles tem potencial e depois que isso acabar, vou fazer a proposta, se eles querem tocar na banda que pretendo formar.

Itachi encarou o irmão e Sasuke surtou.

- Que foi?! Eu pretendo montar uma banda de rock! Sei cantar muito bem e já compus algumas músicas, tá? Não pense que só você é capaz de ter um banda! Eu posso tanto quanto você!

- ...eu não disse nada.

- Mas eu aposto que pensou! Todos acham que "Itachi é o melhor", que "Itachi fez isso" e ninguém acredita que eu também...

- Itachi-san, finalmente o encontramos!

Sasuke foi obrigado a se interromper quando Neji e Hinata se aproximaram de Itachi, praticamente empurrando seu irmão mais novo para o lado.

- Quero dizer, em nome de todo o clã Hyuuga. - começou Neji polidamente. - Que sentimos muito pela partida de Fugaku Uchiha. Este é um momento difícil mas sei que conseguirá superá-lo. - colocou a mão em seu ombro. - Não deixe que esta fatalidade interrompa a estréia da turnê da banda Akatsuki. Seu pai não desejaria que você adiasse os shows por causa dele.

Itachi pensou em dizer que na verdade seu pai odiava o fato de ele ter abandonado uma promissora carreira de shinobi para seguir carreira artística e que gostaria que o filho se ferrasse com aquela banda esquisista, mas optou por ficar calado. Não havia necessidade de que pessoas de fora soubessem que seu pai havia entrado na justiça para deserdá-lo depois que Itachi criticou publicamente a capacidade "fenomenal" do clã Uchiha em incitar maracutaias e desordens.

- Hinata, você disse que gostaria de pedir ao Itachi uma coisa. - falou Neji virando-se para prima. - Diga á ela.

Silêncio. Hinata sentiu o corpo gelar, a timidez aflorando com velocidade. Seu rosto ficou igual á um tomate maduro e ela tentou esconder-se atrás de Neji.

- Hinata, não haja assim... - falou o rapaz como se falasse com uma criança pequena. - Desculpe, Itachi. Mas minha prima sofre de um acesso agudo de timidez diante de pessoas que admira...em alguns casos ela desmaia, em outros ela tem ataques de riso, em outros vomita...bom, eu vou dizer o que ela queria te pedir. Hinata é sua fã e ela gostaria de tirar algumas fotos contigo. Espero que não tenha problema.

- ...de modo algum.

Hinata sorriu, entregou a cãmera digital que trazia na bolsa e alegremente se aproximou de Itachi, o abraçando empolgada.

- Isso, perfeito! - Neji ajustou o foco da lente. Ok, agora se abracem e...ei, Sasuke! Será que daria para você se afastar? Está estragando a atmosfera da foto.

Aquilo já era demais. Controlando sua raiva e frustação, Sasuke saiu dali emburrrado e a murmurar palavras ilegíveis.

~*~

- Vamos, mais depressa! DEPRESSA!

Após atravessarem todo um descampado e subir um grande morro debaixo de um forte sol, Naruto finalmente conseguiu chegar á residência Uchiha empurrando a cadeira de rodas na qual Jiraya estava sentado.

- Eu nunca vi alguém tão mole quanto você, Naruto! - reclamou Jiraya fechando o guarda-chuva qye usara para se proteger do sol. - Francamente, você não consegue fazer nada direito! Primeiro, estaciona lá pnde o ninja perdeu o hitaiate, depois vem nessa lerdeza para chegar até aqui! Se outra pessoa tivesse ido me buscar, de preferência uma mulher bonita, eu não teria passado por isso!

Naruto não retrucou. Também, como poderia? Depois que Ino roubaram descaradamente sua vaga, ele só conseguiu estacionar seu fusca laranja á quase um quilômetro de distância, Isso porque parecia que Konoha inteira viera para o velório. Depois de quase destroncar a coluna para conseguir levantar Jiraya e colocá-lo na cadeira de rodas (precisou da ajuda de dois kage bunshin para isso), teve de empurrá-lo por uma subida íngreme totalmente disforme debaixo de um sol escaldante e praticamente morrendo de fome e sede.

Mal conseguia respirar e a única coisa que Jiraya fazia era reclamar! Definitivamente, as pessoas deveriam valorizá-lo mais, dattebayo.

Assim que chegou aos tropeços na entrada da residência, encontrou Shikamaru encostado na parede, observando as pessoas com o intuito de encontrar quem procurava.

- ...Shi...ka...ma...ru..

- Oe, Naruto. Você demorou.

- Demorou porque ele é um incompetente! - gritou Jiraya antes que o loiro abrisse a boca. - Diga á ele o que você me fez ter de passar!

No momento que Shikamaru colocou as mãos na cadeira de rodas e Naruto sentou no chão para recuperar o fôlego, Sakura surgiu, furiosa.

- Até que enfim! Naruto, eu falei para você buscar o Jiraya mas não era para chegar tarde! Todos estão impacientes! Isso não é um casamento que você está incumbido de trazer a noiva, isso é um funeral!
Shikamaru, obrigada por ter empurrado a cadeira do Jiraya, eu o levo agora.

- ...não foi nada.

- Oi, Sakura. Como vai você? Já colocou silicone nesses peitinhos ou esse volume é sutiã de bojo?

- Cala a boca, Jiraya! Naruto! Depois quero conversar sobre essa sua falta de pontualidade!

- Sakura, você viu a Temari por aí?

- Ela está no jardim.

Enquanto Shikamaru se dirigia para o jardim e Sakura levava Jiraya para dentro, Naruto foi deixado ali, estirado e exausto.

~*~

Sabaku no Kankurou estava metido em uma encrenca. E das grandes. Muito grande. Lá estava seu irmão caçula no jardim completamente drogado e começando a dar vexame devido aos alucinógenos fabricados por ele e que o irmão tomara por engano. Se Temari não tivesse pego os comprimidos achando que eram calmantes, Gaara não estaria naquele estado!

O que faria agora? Não podia dizer a Temari que Gaara estava daquele jeito porque tomara os alucinógenos. Se alguém descobrisse que ele, Kankurou - O Mestre das Marionetes, fabricava alucinógenos em vez de venenos, seria um escândalo em Suna . E se o seu pai soubesse...não queria nem imaginar. Isso sem falar que Temari surtaria se contasse que Gaara estava chapado. O mais prudente era ficar de boca fechada e fingir quer o estado de Gaara não tinha qualquer conexão com sua pessoa.

- Ae, Kankurou finaslmente te achei! Cadê o barato?

Ele virou-se abruptamente pars Kiba, que estava acompanhado por Akamaru.

- Fala baixo! Esqueceu que o barato é ilegal?

- Relaxa, eu sei. - estende a mão. - Vai, passa.

Disfarçadamente, Kankurou lhe entregou o pote de comprimidos enquanto Kiba lhe entregou uma nota de dinheiro.

- Cara, que criativo! Você colocou o barato dentro de um pote de NARUM, disfarçou bem, mano!Vou fazer um teste já! - Kiba tirou um comprimido do pote e agachou no chão. - Tó, come isso, Akamaru.
- Tem certeza que pode dar alucinógenos ao seu cão?

- O Akamaru está acostumado. Ele reage rápido aos efeitos e eu consigo saber antes de experimentar!
- ...ou seja, seu cão é uma cobaia de entorpecentes...

O cachorro engoliu um comprimido e os dois shinobis aguardaram em silêncio, olhos fixos no animal. Não demorou para que Akamaru endireitasse o corpo e suas pupilas dilatassem. O cachorro soltou um uivo baixo e comçeou a olhar em todas as direções, arfando e balançando freneticamente a cauda. Então, Akamaru começou a saltitar nas patas traseiras, primeiro em círculos, depois para frente e para trás.

Kankurou percebeu então que Akamaru e Gaara - metros á frente. - repetiam os mesmos movimentos. E ele percebeu que, realmente, teria de contar a verdade ao irmão.

- Cara, esse negócio deve ser uma viajem do carralho! - Kiba riu.

- Seguinte. - falou Kankurou. - Guarde bem esse pote, não deixe que ninguém, eu disse NINGUÉM, tenha conhecimento dele! Eu volto já.

Assim que ele se afastou, Kiba guardou o pote no bolso do terno. Porém, como estava observando as reações de seu cachorro, não guardou o pote direito e este acabou caindo no gramado.

~*~

Após deixar Jiraya em um ponto qualquer da casa, Sakura tornou a observar se tudo ocorria nos conformes. Após garantir que havia amendoins suficientes para todos, ela levou o restante para o quartinho da despensa ao final da cozinha.

Definitivamente, aquilo tudo era um absurdo. Ninguém tinha qualquer consideração por Fugaku Uchiha, nem mesmo sua esposa ou filhos, e aquele velório mais parecia uma festa. Desde quando precisava ficar servindo suco e amendoins? Pior era que sua futura sogra fingia afogar as mágoas nos braços de Genma, seu namorado Sasuke tinha crises existenciais e o cunhado Itachi ficava tirando fotos com fãs!

- Que família mais problemática eu fui escolher para tentar arranjar minha vida....bom, na época, era isso ou viver com o Naruto naquele apartamento imundo. E essa opção é eternamente fora de questão! Ai, talvez eu devesse tentar...Kakashi-sensei?!

Sakura levou a mão ao peito deivdo o susto. Kakashi a estava encarando com o sharingan visível e expressão séria, igual á quando ele decidia lutar. E isso fez a garota perceber que estava em um beco sem saída.

Sem tirar os olhos da jovem, Kakashi fechou a porta da despensa e Sakura soube que estava vulnerável com um homem másculo dentro do quartinho da despensa da casa da famíloia do seu namorado durante um velório. E aquilo era tão exci...

- Kakashi, pelo amor dos kages! Me deixa em paz!

- Não até esclarescemos todas as pendências.

- Já esclarescemos! Aquela noite eu tinha brigado com o Sasuke e foi uma inconsequência! Eu sou uma moça direita, não uma adúltera!

- ...eu nunca disse que você era. Só quero que entenda de quem você realmente gosta.

- Sensei! - ela levou as mãos á cabeça. - Eu amo o Sasuke! Sempre amei e você sabe disso!

- O que sente por ele é ilusão, Sakura! Não negue que é á mim que você deseja!

- Não, não, não! Kakashi, isso não é certo! Você é bem mais velho do que eu!

- Eu valho por três jovens!

- ...você foi meu sensei!

- Eu posso te dar aulas particulares de coisas que você nem sabe que existe!

Quando ele avançou, Sakura desviou.

- Sakura! Você não pode fugir da verdade! Desde aquela noite no celeiro atrás do bar do Ichiraku nosso destino foi traçado e nossos sentimentos comprovados!

- Kakashi-sensei! - Sakura fechou os olhos com raiva, balançando a cabea. - Aquela noite no celeiro atrás do bar do Ichiraku eu estava tão bêbada que poderia ter transado com um jumento!

Silêncio. Kakashi a encarou, incrédulo.

- ...está errada. - falou o copy ninja sombriamente. - Vou te mostrar a verdade agora te dando o que você está precisando!

Ninguém pode dizer que Sakura não relutou. Ela mesma acreditou que havia lutado contra isso com todas as suas forças. Mas Kakashi sabia tocá-la de um jeito que mais ninguém era capaz, nem mesmo seu nam,orado. E quando ele a colocou sentada na bancada depois de jogar os amendoins no chão e abaixou a máscara, Sakura só conseguiu murmurar, os olhos a brilharem:

- Oh, meu sensei!

~*~

Quando Kabuto voltou ao jardim com uma porção de amendoins na tigela, constatou que Oorochimaru não estava mais no local em que o havia deixado. Maravilha. Oorochimaru era igual criança: bastava tirar os olhosp or um instante que desaparecia. Isso acontecera uma vez no supermercado quando fora buscar feijão e ao voltar no corredor onde Oorochimaru tinha ficado para escolher biscoitos, ele desaparecera e precisara anunciá-lo na recepção do local.

Bom,já que estava sozinho ali, iria colocar em prática um de seus maiores passatempos: alimentar intrigas e baixa estima nos outros. Ajeitou os óculos e aproximou-se de de sua primeira vítima.

- Olá, TenTen! Eu não esperava te encontrar por aqui! - a garota ia responder. - Sabe como é, você não é muito popular, é pouco participativa mas fique tranquila! Isso não é sua culpa. Ninguém pode culpar o fato de você ser uma kunoichi que mal é lembrada, isso é consequência de um mundo shinobi vrepleto de kunoichis mais bem suscedidas do que você.

- ...eu não...

- Você pode até ter alguma habilidade de combate, mas quando perdeu vergonhosamente para a Temari no exame chunnin, perdeu também qualquer chance de futuros destaques. Isso sem falar que sua estética de Chun Li não possui originalidade. Quando entramos na fase Shippuden você poderia tentar, mas mal mudou sua estética! Enquanto Ino e Hinata se deram um belo trato, você nem ao menos desfez o penteado, amiga! E ficar puxando saco do Neji ou dando broncas no Lee não adianta em nada para sua carreira, só a deixa mais terciária.

- ...eu...

- O caso é que você não pode exigir qualquer mudança porque os produtores não lembram de você. Nem nos capítulos fillers você tem voz ativa! Mas não se deprima... - deu tapinhas amigáveis em suas costas. - O lado positivo de ser uma personagem terciária é que poucas pessoas te criticam pois raramente se lembram de você. Preciso ir agora, a gente se vê por aí. Tchau-tchau!!

Calada e silenciosamenrte, Tenten se afastou cabisbaixa enquanto Kabuto ajeitava os óculos e com um sorriso aproximou-se de sua próxima vítima.

- Oi, Anko! Quanto tempo! Como tem passado estes anos depois de ser descartada pelo Oorochimaru?

~*~

Sasuke cmainhou pela casa com o intuito de se acalmar. Ninguém lhe dava valor, não ipmortava o que fizesse. Era só Itachi, Itachi, Itachi...o que seu irmão tinha que ele não tinha? O que Itachi fazia que ele não fazia? O que seu irmão tinha de mais? Só porque Itachi era mais fodão, bonito, habilidoso, inteligente, charmoso, poderoso, simpático? Isso não significava nada!

Enquanto parava por um momento para ajeitar a gravata, ouviu um grupo de convidados conversarem.

- Ei, é verdade que não será o Itachi quem fará o discurso em meória do Fugaku? - indagou Shizune.

- É, parece que o Sasuke fará isso. - explicou Neji. - Foi o próprio Itachi quem falou.

- O Itachi deveria fazer o duscurso, ele escreve tão bem... - Shizune estava decepcionada. - As músicas que ele compõem são tá belas...e no blog ele tem artigos excelentes.

- Verdade. - concordou Hinata. - Se ele fizesse o discurso, certamente emocionaria á todos!

- Verdade. - agora era Iruka quem falava. - Mas talvez o Sasuke consiga fazer algo decente, pelo menos.

Aquilo já era demais. Sasuke usou toda a sua força interior para não sacar a espada e mandar um Chidori contra aqueles palpiteiros, tratando de ir para bem longe dali. Onde diabos estava Sakura quando precisava de alguém para descarregar suas frustações? Uma mão tocou seu ombro e, quando se virou avistou...desde quando seu pai tinha qualquer vínculo com Maito Gai?

- Sasuke. - começou ele. - Gostaria muito de falar com você seu irmã acerca de um assunto importante.

- Ah, me deixa em paz! Não tô com paciência para porra nenhuma agora!

Atravessou a residência feito um tigre enfurecido e só parou ao notar que Sai vestia uma camisa da banda Akatsuki e que alguns parentes haviam - sem pedir permissão, evidentemente - ligado a tv e colocado um dvd de show.

- Banda Akatsuki!!! - anunciou a voz no dvd. - Na percurssão, a habilidade de...SASORI!! No baixo o grande...KISAME!! No teclado e vocal a bela...KONAN! Na guitarra, os fenomenais...DEIDARA e HIDAN!! Na bateria o magnífico...PEIN!!! E a voz e o talento incomparável de ...ITACHI UCHIHA!!!!!!!!

A vasta platéia do estádio vai ao delírio enquanto Sasuke - com o ódio saltando de seu sharingan - decide sair daquele antro de fas obcecados do seu irmão. Maldito Itachi, desgraçado e lazarento! Sempre ele!

~*~

No jardim, Naruto caminhava á passos lentos. Além de cansado, estava com fome e ninguém lhe dava valor. Nunca vira um velório tão estranho, estava até que bem animado. Olhou para uma mesinha onde estavam os três lendários sannins. Curiosamente, Naruto constatou que eles pareciam levemente embriagados.

- Ah, vai Oorochi! Duvido que você consegue fazer isso!

- Já disse que consigo, Jiraya.

- Eu aposto que você não é capaz de lamber os próprios olhos! - exclamou Tsunade.

- Também aposto! - apoiou Jiraya. - Isso é impossível!

- Apostado. Prestem atenção, vou mostrar!

Oorochimaru colocou a lingua de cobra para fora da boca e sem dificuldade conseguiu passá-la pelos próprios olhos como se fosse um lagarto. Jiraya e Tsunade ficaram surpresos e então os três caíram na gargalhada.

Naruto balançou a cabeça e continuou caminhando e comendo uma tigela de amendoins quando avistou algo no gramado.

- Um potinho cheio de NARUM? Legal, já é meu, dattebayo.

Colocou o frasco no bolso e continuou andando.

~*~


continua...



Nenhum comentário:

Confira Também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...