24 de ago de 2009

Witch Hunter Robin

A nova versão de caça ás bruxas



Embora seja pouco conhecido, Witch Hunter Robin é um dos raros animes de qualidade incontestável tanto no roteiro quanto na animação e trilha sonora.
Criado pelos estúdios Nippon Sunrise (o mesmo que animou a série Gundam), Witch Hunter Robin é mais uma daqueles animes que possui somente uma série de tv. Não existe mangá, ovas, movies nem nada. É uma obra criada para a tv, o que justifica sua qualidade por todos os ângulos que se olhe.

A trama se passa no Japão atual, em uma agência semi-secreta conhecida como STNJ, cuja função é caçar bruxos. Sim, isso mesmo. Caçadores altamente qualificados cujo dever é aprisionar pessoas que desenvolvem misteriosos poderes e que podem vir a causar mal á sociedade.
Para poder enfrentar os bruxos, os agentes contam, além de suas habilidades físicas e intelectuais, armas especiais cujas balas contém um anestésico capaz de paralisar o inimigo. Carregam sempre consigo também um amuleto em forma de cruz que dentro possui um misterioso líquido capaz de repelir os ataques dos bruxos e que é denominado como "Orbo". Entretanto, o Orbo além de anular os poderes do bruxo é capaz de provocar efeitos colaterais naqueles que o usam.

A STNJ na verdade é uma divisão de uma equipe militar conhecida como Solomon, que possui outras equipes espalhadas pelo mundo, todas com a função de caçar e matar bruxos. Entretanto a STNJ é a única equipe que captura bruxos vivos e os manda para um lugar misterioso conhecido apenas como Factory.
Tudo começa quando, de um convento na Itália chega a mais nova integrante da equipe: Robin Sena. Jovem, educada, de estética própria e passiva, ela também é uma bruxa. E não uma bruxa qualquer: Robin é um usuário Craft, bruxa de alto nível, capaz de incendiar qualquer coisa que esteja ao alcance de sua visão.

A equipe, além de Robin, é composta por: Michael Lee, um exímio hacker que nunca deixa o prédio da STNJ, Miho Karasuma, capaz de sentir as emoções das pessoas só de tocar em qualquer coisa das mesmas; Haruto Sakaki exímio atirador; Yurika Dojima que auxilia os demais nas missões e sempre chega atrasada no ambiente de trabalho; e o líder da equipe, Amon.
Este último além de ser considerado um dos melhores agentes de toda a Solomon é também um excelente atirador e parceiro de Robin nas investigações. Embora inicialmente ele trate Robin com aspereza constante pelo fato dela ser uma bruxa, logo os dois tornam-se realmente parceiros. E, por mais que tente, Robin não consegue esconder os sentimentos que passa a desenvolver por ele.



Apesar de todo o ambiente sobrenatural e as referências de história e simbologia pagã, Witch Hunter Robin é basicamente uma série policial, onde em cada capítulo existe mistérios para serem revelados e criminosos a serem pegos.

O aumento do poder de Robin e seu crescimento interior são acompanhados constantemente e, junto com a própria personagem o espectador vai descobrindo as origens misteriosas da jovem bruxa, origens da qual ela própria desconhece e que a colocam em um conflito delicado: se é uma bruxa, porque está caçando bruxos?

Após um surpreendente desfecho no meio da série, o que pode-se definir como segunda fase é o momento dos personagens entrarem em confronto com a Factory e seu líder, o misterioso Zaizen. Outros personagens surgem, como Nagira que, além de agir como um protetor de bruxos e pessoas que podem desenvolver poderes, possui uma surpreendente conexão com Amon. Dojima, que sempre pareceu uma pessoa despreocupada, aos poucos revela o que realmente veio fazer na STNJ. E novamente Amon, sempre agindo de forma misteriosa é aquele raro personagem que, embora seja suspeito nos passa a idéia de confiável.
E o clima de amizade entre os membros da STNJ é interessante, pois supera todas as dificuldades e suspeitas levando a idéia de todos por um realmente para a ação.

Com o decorrer da trama vamos descobrindo certos segredos acerca dos personagens, mas não espere descobrir tudo, pois muitas coisas não são reveladas e certas perguntas permanecem sem resposta.
Entretanto, certos mistérios são questionados ao decorrer da série e revelados tanto ao espectador quanto aos próprios personagens.
O que exatamente é o Orbo e quem o fabrica? Para onde vão os bruxos aprisionados? Quais as verdadeiras intenções de Zaizen? Qual o interesse da Solomon em Robin? Como surgem os poderes nos bruxos? Quando Robin e Amon finalmente vão se declarar um ao outro? (indignação de fã)
Witch Hunter Robin é uma obra excelente e, para aqueles que apreciam uma boa e complexa história com referências e colocações diversas e perturbadoras, é algo indispensável para se assistir.

Nenhum comentário:

Confira Também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...