17 de mai de 2009

Ah My Godess!


Um rapaz sem atrativos mas de bom coração acidentalmente ganha os serviços de uma bela e gentil deusa que se torna o amor de sua vida.



Ah My Godess (ou Ah! Megami-sama) é uma encantadora e divertida comédia romântica criada por Kosuke, cuja obra descrita está á mais de 13 anos em andamento. A obra é composta pelo mangá e, inicialmente por um OVA inicial, um encantador Movie, uma microsérie em versão SD e duas séries para tv. Sim, as produções acerca de Ah My Godess são extensas, mostrando claramente o sucesso da história entre os fãs. Nesta resenha, será analisado as duas séries de tv: Ah Megami-sama e Ah Megami-sama Szori no Tsubasa.

Tudo começa quando o jovem Keiichi Morisato ( o típico garoto sem atrativos mas com bom coração) que está desiludido com sua vida pois, além de ser feito de escravo por seus dois "senpai" (veteranos da faculdade) e receber um fora da garota que gostava (e que se auto entitula a rainha do campus universiário) volta para o minúsculo apartamento em que vive e que, por ordem expressa de todos os moradores do edificio, nenhuma garota pode entrar.

Por Keiichi ser o novato do Clube do Automóvel da faculdade, seus senpai ( vale ressaltar que Ten-chan e Den-chan são seres gigantes MUITO esquisitos) acabam lhe ordenando que cuide de todos os domitórios do apartamento até eles voltarem de uma festa. O pobre Keiichi, após fazer uma faxina, resolve, ao fim do dia, ligar para pedir comida. É então que um complexo sistema celestial chamado Ygdrasil entra em ação, alterando sua ligação e o fazendo cair diretamente ao: Central de Atendimento das Deusas.

Pronto. Imediatamente do espelho de Keiichi surge uma linda garota que se apresenta como Belldandy, Deusa de Primeira Classe com Licença Ilimitada. E que está ali para realizar apenas um desejo de Keichi, qualquer que seja. Keiichi, achando que aquilo é um trote pede então que uma deusa como Belldandy fique com ele para sempre. E tal pedido é tomado como um desejo no sistema do céu, de modo que, á partir de agora, Belldandy ficará ao seu lado.

Ao ter uma garota(ainda mais, bonita) no apartamento, Keiichi é expulso do lugar em que vive e, sem outra alternativa eles encontram um tradicional templo budista no subúrbio da cidade. Como o monge decide viajar, Keiichi e Belldandy passam a morar juntos sem ter qualquer tipo de relacionamento exceto amizade. Belldandy passa a frequentar a mesma universidade que Keiichi e logo se torna uma garota extremamente popular.

Claro que não demora muito para que tanto o mortal quanto a deusa comecem a se interessar um pelo outro, mas devido á timidez (ou pamonhice no caso de Keiichi) ambos não conseguem se declarar abertamente. Para agilizar a relação dos dois, a deusa Urd vem á Terra e tenta de todas as formas uni-los, acabando por ficar morando na mesma casa. E como sempre existe alguém para atrapalhar qualquer relação amorosa, entra em ação Skuld, irmã mais jovem de Belldandy que tenta de todas as maneiras impedir que Keiichi se aproxime de sua irmã.

E, á medida que acompanhamos a trama, vamos descobrindo cada vez mais como funciona o mundo das deusas. O sistema de ajuda a mortais que é inteiramente controlado por Ygdrasil, os diversos itens mágicos e lendas retirados diretamente da mitologia celta e os anjos protetores que cada deusa possui e que são reflexos de suas próprias personalidades, são apenas alguns exemplos.

Mas nem tudo é um cotidiano mar de rosas. Vira e mexe o trio de deusas e seu mortal precisam confrontar muitos problemas e perigos como a histérica e atrapalhada demônio Marleer ( que só se dá mal por mais que se esforce), os ataques invejosos de Mishima, o lado negro e demoníaco de Urd, as peraltices tecnológicas de Skuld, a presença do Senhor do Mal...


as 4 deusas do destino(de cima para baixo): Peorth(eternidade), Urd(passado, Skuld(futuro) e Belldandy(presente)


Quando chega a segunda fase das aventuras, os problemas aumentam consideravelmente de tamanho. Além de Urd precisar se confrontar com seu lado negro e sua origem demoniáca; Skuld percebe que precisa amadurecer antes de se tornar uma verdadeira deusa; Belldandy passa a culpar-se por nutrir sentimentos que uma deusa não deveria ter... e até mesmo Keiichi precisa passar por certas provações.

E as coisas complicam quando Keiichi por engano(de novo?) liga acidentalmente para o céu e acaba recebendo uma visita de outra deusa, Peorth. Bela, sensual e orgulhosa, ela fica decidida em conseguir realizar um desejo para Keiichi, nem que para isso precise usar as mais diversas artimanhas. Como as coisas não poderiam ficar mais confusas, surge do inferno a bela e sensual Hyld Daimakacho cujo estrondoso poder e conexão com Urd são surpreendentes.

Mas mesmo enfrentando os mais diversos problemas, Keiichi e Belldandy provam á todos que o amor é capaz de romper todas as barreiras.

Ah My Godess é uma série divertida e encantadora, com personagens cativantes, histórias suaves e uma animação de primeira. Só mesmo assistindo a série que podemos justificar o fato das deusas conquistarem fãs em todo o mundo.

Um comentário:

Sal disse...

tsubasa qqq???

meu, não entendo nada ok...
mas curti, quero ler esse mangá baby.

Confira Também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...