19 de mar de 2011

FanFics Naruto - Caos no Velório- capítulo 02


 ~*~

O veículo automotivo seguia á alta velocidade pela entrada, realizando ultrapassagens arriscadas e desrespeitando todas as sinlaizações de trãnsito. A responsável por isso, Temari, acreditava estar dirigindo corretamente e mascava um chiclete, estourando bolas de vez em quando. Já Kankurou, sentado no banco de trás, concluía que mulheres como sua irmã ao volante eram um perigo constante.

Gaara, sentado no banco do passageiro estava alheio á todas as infrações pois, curiosamente, toda a paisagem que passava diante de seus olhos tinham uma fantástica coloração verde-limão e árvores e animais multicoloridos. Seria isso os preparativos para alguma festa Karnavalesca em Konoha?

Notou então que a tv digital fixada no painel do carro parecia ter uma nova tecnologia que permitia a visualização do efeito 3D sem a necessidade de óculos especiais. Legal...

- Temari... - murmurou Gaara tornando a olhar pela janela. - Acaso existem vacas rosas com manchas azul-turquesa?

- Claro que não. Por quê?

- É que...eu acabei de ver uma lá no pasto...olhe, outra! Viram?

Silêncio. Temari e Kankurou olharam para o tal pasto, que estava vazio. Olharam com suspeita para Gaara, que tornava a olhar para o pasto boquiaberto. Decidiram então não dizer nada e continuar a viajem.

~*~

Assim que adentraram nas imediações do asilo de Konoha, não demorou para que Naruto e Shikamaru encontrassem p lendário Sannin - Grande Jiraya, debaixo de uma árvore sentado no que parecia ser...

- Mendukouse! - exclamou Shikamaru. - Por que não falou que ele estava em uma cadeira de rodas?!

- Bom... - comçeou o loiro. - Semana passada, o ero-sennin resolveu ir espionar as garotas durante o banho nas fontes termas. De uns anos pra cá a taradice dele piorou quando começou a tomar um remédio azul estranho...acontece que ele estava fazendo uma coisa muito sacana enquanto espionava as garotas e ficou tão empolgado que reslveu chegar mais perto, tropeçou, bateu numas pedras e acabou deslocando a coluna. Aí a vovó Tsunade mandou ele vir para um retiro se curar e aprender a não espionar as mulheres e fazer coisas feias!

Shikamaru revirou os olhos. Deveria ter ido para o velório sozinho e não aceitado carona. Assim que os dois se aproximaram, Jiraya já começou reclamando.

- Mas que demora foi essa? Eu estou aqui á horas tendo que ver apenas velhinhas fazendo fotosíntese enquanto...ei! Vou ter que ir para o velório nesse fusca?! Era só o que me faltava! Eu, num fusca! Como acham que as tchutchucas vão olhar pra mim?

 Naruto se controlou e Shikamaru bocejou.

- Ei, não fiquem aí parados! Me ajudem a entrar no carro! Caso não estejam vendo, eu não consigo andar porque aquela puta frígida da Tsunade não quis me curar alegando que eu precisava "sossegar o facho" por um tempo! Sossegar o facho..ela bem que gostou daquela vez...

Sem protestar ou pedir mais detalhes, Naruto conseguiu colocar Jiraya no banco de trás do carro enquanto Shikamaru só assistia com um cigarro nos lábios. Em seguida, Naruto tentava, de todas as formas possíveis, colocar a cadeira de rodas dentro do porta-malas.

- Ei, tome cuidado! - berrou Jiraya. - Se você quebrar essa cadeira, vai ter que pagar uma nova! Além de não chegar no horário, destrói os objetos pessoais dos outros, incompetente!

- Ah, vai se danar.

- O que disse? Naruto, você é realmente um produto mal-feito! - sussuro. - Eu falei para o Minato não se enrolar com aquela problemática da Kushina pois isso s´ia gerar filhos complicados...depressa, Naruto!

~*~

O som da campainha fez Sasuke sair do transe alucinógeno provocado pelo mangekyou sharingan. Piscou abobalhado e, quando limpou a baba do queixo com a manga da blusa, concluiu que se vingaria de Itachi por ele sempre lhe passar a perna em tudo na vida.

- Já vai! Já vai!

 Quando abriu a porta, ele engloiu um grito de susto ao ver Oorochimaru com uma bíblia sagrada em mãos e Kabuto ao lado, carregando uma maleta.

- O que você quer de mim agora? - Sasuke trincou. - Eu não vou te dar o meu corpo!

- Eu não quero o teu corpo.

- Hãn...por que não? Acaso o meu corpo não é bom o suficiente? Acha que o corpo do Itachi é melhor do que o meu? É isso, é?!

 Silêncio. Sasuke mantinha um olhar de surpresa e indignação enquanto Oorochimaru apenas olhou a súbita explosão de fu´ria do jovem Uchiha e Kabuto ajeitou os óculos.

- Nós viemos aqui... - falou Oorochimaru simplesmente. - Á pedido de sua mãe.

- Como é que é?!

- Deixa que eu explico! - Kabuto tomou a dianteira e discursou. - Oorochimaru-sama em seu tempo livre para aumentar a renda, preside funerais, batismos, casamentos, pregações e semlhantes na ausência de um padre. Ele graduou-se na área com excelentes notas e é recomendado em várias vilas. É uma pessoa altamente capacitada para presidir corretamente um funeral dentro dos termos vigentes da lei.

Silêncio. Sasuke sentiu uma gota de constrangimento descer pela testa, mas antes que pudesse retrucar, sua mãe surgiu, cumprimentando Oorochimaru, toda sorridente.

- Obrigada por ter aceitado meu humilde pedido para presidir o velório do meu marido, Oorochimaru-sama!

Humilde pedido? Kabuto franziu as sobrancelhas. A verdade é que a senhora Uchiha fico ligando incessantemente para o escritório até que conseguisse ter a presença de Oorochimaru para presidir o funheral. Concluía que a senhora Uchiha gostava que celebridades famosas particpando dos eventos da família. Oorochimaru só aceitara vir porque o dinheiro a ser pago ia ajudar no seu contínuo tratamento de rejuvenescimento de pele.

- Mãe! - a indignação de Sasuke fez Kabuto voltar o foco na situação. - Por que você quis contratar justamente o Oorochimaru para o funeral do pai?

- Sasuke, não grite na presença de visitas ilustres, é feio.

 O moreno fuzilou Ooorchimaru com os olhos devido ao comentário.

- Dispensemos as formaloidades e iremos direto ao ponto: onde está o corpo? Já está tudo preparado para o enterro?

 Silêncio. Diante da fisionomia atordoada da mulher, Oorochimaru percebeu que exagerara na frieza.

- É que...fale você, Kabuto!

- Hãn, sim...é que o Oorochimaru-sama e eu temos outros compromissos profissionais daqui algumas horas e não podemos ficar mais do que o horário combinado.

- Sim, entendo. Os convidados começarão a chegar logo Posso lhes oferecer algo para beber? - Oorochimaru ia negar mas a senhora Uchiha não permitiu. - Claro que sim, está calor. SAKURAAAA! Venha servir as visitas!

~*~

Assim que Oorochimaru e Kabuto seguiram pelo corredor, Sasuke caminhou até a sala de tv onde seu irmão estava.

- Mamãe está surtando! Como ela ousa chamar o Oorochimaru? É um absurdo!

Embora concordasse com a indignação de Sasuke, Itachi não falou nada. Tinha muitos outros problemas com o que se preocupar. Ser o líder de uma banda de rock com status não era fácil, ainda mais por ser um idealista patriota (Kakuzu vivia reclamando por ter de pagar advogados contra os processos que Itachi recebi pelo fato de sempre alfinetar e criticar a política perante a mídia). Isso sem falar que os tablóides o aporrinhavam e o público pressionava para o início da turnê mundial em estádios.

 A turnê. Aquilo sim daria uma dor de cabeça dos diabos. Madara Uchiha vinha com idéias de apresentações messiânicas. Ele erao  produtor da banda e achava que era perfeitamente simples querer fazer os integrantes da banda voarem pelo palcão e tocarem em meio á explosões de luz e efeitos pirotécnicos.

- Seguinte, Itachi. - a voz de Sasuke o fez sair de seus pensamento. - Eu vou fazer o discurso sobre o velório do papai.

- okey.

Sasuke já tinha elaborado diversos argumentos, mas como Itachi prontamente concordara com sua proposta sem nem ao menos retrucar, ele não tinha nada a dizer.

Sasuke ia mostrar para todos que era tão bom em tudo que quisesse fazer quanto Itachi. Demorara para elaborar aquele discurso. Todos - sem excessões - achavam que Itachi era melhor e as visistas certamente pensavam que Itachi era quem faria o discurso porque era famoso, as letras de suas músicas eram excelentes. Mas Sasuke tambémp oderia fazer isso! Poderia escrever tão bem quanto Itachi! Sim, todos um dia reconheceriam isso!

~*~

O velório de Uchiha Fugaku estava marcado para ser iniciado ás 15:00 horas e seria realizado na tradicional casa do clã Uchiha. Asim, um pouco depois da hora do almoço os convidados começaram a chegar.

Quando o fusca laranja de Naruto chegou, praticamente todos os demais convidados já haviam aparecido e logicamente que as vagas para estacionar eram praticamente inexistentes.

- Caramba... - murmurou Shikamaru. - Isso é um velório ou uma formatura?

- Eu falei que chegaríamos atrasados! - reclamou Jiraya. - Você dirige muito mal, Naruto! Se não fosse uma lesma, poderíamos ter conseguido estacionar perto da casa!

-Estamos atrasados porque quando já estava na metade do caminho, tive que voltar para te buscar!

- Era sua obrigação, Naruto! Agora, olha pra frente e procura uma vaga para estacionar!

- Não me diga o que tenho de fazer, ero-sennin! Se acha que eu dirijo mal, dirija você!

- Eu faria isso mas estou com a coluna ferrada e tenho que ficar na cadeira de rodas! Aliás, se você quebrou alguma parte da cadeira ao colocá-la no porta-malas, vai ter que pagar!

Naruto estava á ponto de surtar a qualquer momento. Visualizou então uma vaga disponível poucos metros á frente e, quando avançou, um carro esportivo surgido do nada lhe deu uma bela fechada e facilmente estacionou na vaga.

- Toma cuidado, seu idiota! - Jiraya lhe deu um tapa na cabeça. - Brecando assim de repente, eu poderia ser aremessado pelo pára-brisa!

Naruto engoliu o comentário mal-educado que formulou e tratou de colocar a cabeça para fora do carro como intuito de tirar satisfação com o motorista sacana.

- Ei, essa vaga era minha, datebayo! Eu cheguei primeiro!

Trajando um ousado vestido preto e botas de salto agulha, Ino Yamanaka desceu do veículo e colocou seus óculos escuros fashion.

- Bobeou, dançou, palhaço.

- Como ousa?! Você não pode passar a perna nos outros desse jeito mesmo que tenha umas lindas pernas! Ei, não me ignora, tira o seu carro da minha vaga!

Enquanto Naruto berrava imprecações, Ino já estava entrando na casa.

- Shikamaru! - berrou o loiro. - A Ino é sua amiga, vai lá falar com ela e mandar tirar o carro da minha vaga!

- ...Temari.

 Assim que viu a loira de Suna chegar acompanhada de seus dois irmãos, Shikamaru rapidamente saiu do fusca e a seguiu.

- Shikamaru, aonde você vai? EI! - Naruto pigarreou. - EI! VOLTA AQUI! Você não pode me deixar aqui sozinho para levar o Jiraya! EI!

~*~

Na entrada prioncipal, Sakura tinha o dever de recepcionar todos os visitantes. E, enquanto observava os outros chegarem, vconcluía cada vez mais que a família Uchiha possuía costumes e tradições muito estranhas. Onde já se viu um velório mais psrecer uma festa? Que Uchiha Fugaku era uma pedra no sapato de muita gente, era um fato inegável. Mas mesmo assim muitas pessoas tinham vindo, talvez para ter certeza de que ele havia mesmo morrido.

Sakura notou então, no jardim, sua sogra sentada em um banco sendo consolada por Genma enquanto fingia enxugar as lágrimas com um lenço. Velha cínica e safada.

- O que você tanto observa?

- Só estou percebendo que minha futura sogra sente muito menos a falta do marido do que finge sen...Kakashi-sensei?!

A garota sentiu as pernas tremerem e um arrepio percorrer o corpo ao ver o ninja mascarado tão perto de si. Todos os acontecimentos daquela noite fatídica passaram em sua cabeça e ela recuou alguns passos.

- O...o que você está fazendo aqui?

- Bom... - Kakashi coçou a nuca. - É o funeral do pai de um dos meus alunos, é mais do que normal eu vir dar os meus pêsames. Além do que, eu tenho muita consideração pelo Sasuke.

 Sakura estreitou os olhos. Sim, muita consideração. Como ele conseguia dizer isso depois de tudo que falava á ela pelo telefone e msn?

- Só que na verdade, eu vim aqui para ver se você está bem.

- E-Eu estou bem! - o rosto comçeou a rosar até ficar igual ao cabelo. - Por que não estaria?

- Sakura-chan. - o ninja pareceu sorrir por debaixo da máscara. - Eu sei que ao dividir os lençóis com Sasuke você sente a minha falta.

- M-mas que ab-absurdo! Kakashi-sensei vo-você n-n-não sabe do q-que está fa-falan-do!

- Admita, Sakura. O Sasuke não sabe fazer o que eu sei.

Sakura, realmente, não sabia como reagir.

- Fi-fica longe de mim, Kakashi-sensei! Isso é um velório, com muitas pessoas! Eu tenho o dever de garantir que nada saía errado e...tchau!

A garota saiu dali com passos rápidos, ocasionalmente esbarrando em algo ou alguém. Kakashi apenas observou, isso seria mais fácil do que pensava. Afinal, por que Sakura ficaria com um "Sasuke" quando poderia ter um "Hatake Kakashi"?

~*~

Com o cenho franzido, Sasuke observou, em um canto, a chegada dos convidados. Por que a morte de seu pai atraía tanta gente?

Uma mão tocou seu ombro e, ao se virar, avistou Asuma e Kurenai, esta muito séria. Sasuke emburrou. Conhecia bem o processo que estava correndo na justiça sobre um caso de paternidade não resolvido.

- Eu não acredito que você veio ao funeral do meu pai para discutir esse assunto!

- Ele não era só pai de você e do Itachi! - Kurenai disse, ríspida. - E eu não vim aqui para isso, mas já que tocou no assunto, tanto melhor.

- Escuta, nãpo venha querer exigir direitos e interação no clã Uchiha. Que eu saiba, o resultado de paternidade ainda não saiu.

- Não saiu porque sua mãe e o clã Uchiha sabotaram os exames no laboratório!

- Que provas você tem? - ela abriu a boca para falar, mas Sasuke impediu. - Você veio do nada dizendo que era filha bastarda do meu pai só porque tem olhos vermelhos! Isso não significa que tem o sharingan!

- Eu tenho olhos vermelhos, sou especialista em genjutsus e seu pai teve um caso público com minha mãe!

- Enquanto não sair o resultado do exame de DNA, você está proibida, por uma limiar da justiça, de se referir  como descendente do clã Uchiha!

- Quando o resultado do exame air eu vou fazer você , sua mãe e até seu irmão, engolirem todas as injúrias!

- É isso o que vmaos ver. Não vou mais perder tempo contigo, preciso recepcionar a banda que tocará a marcha fúnebre.

Assim que ele se afastou, Kurenai controlou seu ímpeto de estrangulá-lo e se virou irritada para Asuma.

- E você nem para me defender!

- ...o que você queria que eu fizesse? A idéia de vir aqui foi sua e sinceramente, eu não consigo entender essa sua possessão em querer ter alguma conexão com o clã Uchiha. Voc~e não precisa disso!

- Eu não preciso, mas a criança que está na minha barriga, sim! Se ela tiver alguma ligação com o clã Uchiha, certamente terá muitas vantagens na vida.

- Ei, essa criança tem o meu sangue, será neta do grande terceiro hokage, Vaga garantida na política ela já tem!

- Mas, meu bem você sabe que o nome Uchiha impõe muito mais respeito do que Sarutobi na sociedade shinobi.

- Se está tão preocupada com essa coisa de status, porque não pediu que Itachi Uchiha fizesse um filho em você?

Silêncio. Kurenai encarou Asuma por alguns segundos e murmurou, com voz apaixonada e olhos marejados.

- Como pode dizer isso? Eu te amo.

- ...oh, desculpe a minha grosseria, querida. Esqueça.

~*~

Em uma parte do jardim da residência Uchiha, Temari mais parecia um coelho assustado, olhando em todas as direções como se procurasse ou temesse alguém. Quando chegara, havia visto Shikamaru Nara dentro de um fusca laranja e tinha certeza de tê-lo ouvido chamá-la.

Se ele estava querendo continuar aquela conversa sendo o "senhor da verdade" só porque era um gênio, não daria chance. Enquanto Shikamaru não pedise desculpas por ter xingado Gaara de doente mental, jamais o perdoaria! Era uma mulher de atitude e precisava honrar isso!

- Ei, Temari. Eu acho que tem algo de errado com o Gaara.

 A loira olhouna direção que Kankurou apontava e eles observaram, em silêncio. Gaara caminhava á passos grogues pelo jardim, olhando embasbacado ao redor como se estivesse no país das maravilhas. Parou, extasiado, diante de um enfeite de ferro em forma de um mini-ninja.

- Legaaaal... - imita a pose da estátua. - Quer uma batalha? He, he...eu sou o kazekage e você...você é o ninja da vila oculta dos pigmeus!

Os dois irmãos sentiram uma gota de suor descer epla testa enquanto viam Gaara elvantar uma penra, perder o equilíbrio e cair sentado na grama, rindo molengamente.

- Definitivamente ele não está legal... - falou Kankurou. - Temari, por acaso você deu ao Gaara algum remédio além daqueles prescritos pelo médico?

- Claro que não! Eu sigo á risca as recomendações do médico e hoje o Gaara não precisou tomar nenhum remédio de tarja preta!

- ...ele está agindo como se estivesse drogado.

- Não é possível, eu sei tudo o que ele toma! A única coisa diferente que ele tomou hoje foi um comprimidio de Narum do pote que estava encima da sua geladeira. Ele estava nervoso e eu tinha esquecido em casa o calmante que o Gaara sempre toma. Mas aquilo era NARUM, todos sabem que não dá qualquer efeito colateral.

 Silêncio sepulcral. Os olhos de Kankurou se arregalaram e ele soube que estava metido em uma encrenca das grandes. Olhou para um Gaara chapado e até pensou em abrir a boca para contar á irmã mas achou mais prudente não o fazê-lo. Também, como poderia? Se alguém da família soubesse que ele fabricava alucinógenos secretamente, seria praticamente deserdado.


6 comentários:

Sandro Honorato disse...

kkkkkkk texto show ,foda,irado kkkkk

Desejo a ti um otimo fim de semana.
Ah é ,me da uma ajudinha....comenta o texto que mina amiga fez mas fiz merda e programei um texto logo em seguida kkkkkkkkkkk
Beijos e bom FDS
.............................
http://rimasdopreto.blogspot.com/2011/03/oi-amores.html

Eduardo disse...

EU RI MUITO!

Já estava com saudade da fic...

Mas nem estava lembrando... Estou tão ocupado ultimamente que não tenho quase nem tempo que ficar passeando por blogs...

Victor Von Serran disse...

Orochimaru de biblia...naruto de fusca laranja....sasuke brigando sobre o corpo....kkkkkk

muito engraçado !

continua Tsu e me avisa lá no meu blog ok !

abraço

http://universovonserran.blogspot.com

Tsu disse...

Hello Victor!

Bom como pode ver...a história de Naruto é bizarra..espere só para ver Gaara drogado e Sasuke e Itachi desvobrindo a verdade sobre o pai deles! Pode deixar que quando atualizar eu aviso sim!


Oi Eduardo! Opa não esqueça da fanfics, eu nem dmeorei tanto para postar o segundo capítulo! Nem me fala em falta de tempo..minha vida está um caos, literalmente...



Oi Marcos.

Sim é esse lance de liberdade e uma sociedade inglesa retógada que está a graça do filme. Claro que ue prefiro muito mais a forma como os personagens são tratados: cada um o estereótipo do tipo de programa que faz. Opa seriados live action. super sentai/ Também fizeram parte da minha infancia,. eu adorava o Jaspion! o/




Oi Sandro! Que bom que curtiu o texto! o/ E olha que ainda vem chumbo grosso na história kkkkk.



Poxa Lah, tenta ver o filme até o fim =p. É legal. Eu passo por essa de ver filme incompleto sempre que assito Perdas e Danos. Só passa quase de madruga na tv e eu to com sono e perco o final u.u


Oi Renoth!!

Pra começar deixa weu dizer que ADOREI você ter mui ligado! Eu ñao esperava, curti muito falar contigo! Agora que ambos temos celular VIvo pode deixar que eu também vou te ligar o/

Entçao como eu disse coloquei a foto do Sasuke no meu celular pra indficar sua chamada kkkkk. Eu não consigo curtir o Saske, sou mesmo fã do Itachi. Até tenho um bonequinho de pelúcia dele =p.

Eduardo disse...

Tsu, então somos dois... Eu não estou conseguindo ter tempo para postar nada... Tanto que as minhas postagens só duram umas 5 linhas... n_n
Sim, eu vi o mangá 23 e 24, ficou muito legal... Apesar de ser um pouquinho tosco... É que eu acho que foi por causa do público, mortes sem razão seria um pouco chocante...

Sandro Honorato disse...

To ansioso pela proxima parte kkkkkkk

Sobre a foto la do blog....eu nem sabia o nome do cara kkkkkkk...escrevi no google "anime chorando" ai apareceu kkkkkkkkk

Nossa to 5 dias sem ver anime,to ficando doido ja :@ kkkkkkkkkk
Beijos

Confira Também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...