17 de ago de 2011

FANFICS Naruto - Divinos Pecados - cap.25



~*~

Sakura debruçou-se sobre a janelas, sentindo o frescor da noite. Por mais cansada que estivesse, não conseguia dormir. Olhou para Ino, que dormia profundamente na cama ao lado, invejando a amiga por ela conseguir dormir mesmo estando tão abalada com seus problemas.

Ino e Gaara, quem diria! E aquela era a primeira vez que vira Ino derramar lágrimas e desabafar por um cara com que ficara.

Que Ino procurara problemas ao dançar para o kazekaage era fato. E fora muito impulsiva em transar com ele e nesse ponto Sakura precisou lhe dar uma bronca.

***flash-back***

- Ino. Como você pôde?! Sempre me disse que a mulher deve escolher sabiamente o cara para quem vai entregar sua virgindade, que isso deveria ocorrer em um relacionamento sólido e tudo o mais!

- Eu...eu também não sei como isso aconteceu...eu tinha ido ao quarto para explicar e de repente aconteceu!

- ...ele...ele te forçou a fazer isso?

- Não, de modo algum! Eu que permiti, eu quis, também era a primeira vez dele e...

- O Gaara era virgem?!

Sakura controlou-se para não rir. Quem diria que o kazekage Sabaku no Gaara, tão temido e respeitado era, até um dia atrás, um rapaz puro, casto e púdico?

- Eu não vou negar que gostei mas...o que fiz foi impulsivo e talvez errado. Eu sempre odiei essa idéia de sexo casual e olha só!

- Ino...pelo menos você se previniu, né??

Silêncio profundo.

- Sua loira burra! Impulsividade tem limite! Você é médica, como pode ter se esquecido disso, sua maluca?!

- Pare de me dar broncas, Sakura! Eu já estou me sentindo horrível, não me deixe pior!

Sakura passou a mão sobre o rosto. Cada coisa que acontecia com as pessoas á sua volta...Mas não havia nada que pudesse fazer.

- Ino, você já conversou com o Gaara depois do que aconteceu?

- Não...nem tinha como porque aconteceu aquilo com você em Karnak, depois já viemos para cá e eu percebi que nem precisaria falar com o Gaara porque ele na quer mais nada.

- ...como pode ter certeza?

Ino então contou a conversa que ouvira entre o conde de Karnak e Gaara, além da forma distante como ele agira. Ao pensar um pouco, Sakura decidiu opinar.

- Talvez você esteja se equivocando.

- ...o quê?

- O Gaara é um cara diferente de todos os outros. Ele é reservado e com menos de vinte anos se tornou kazekage. Tem um passado traumático e grande dificuldade de se socializar. Eu acho que ele não consegue expor o que sente.

- Mas naquela vez...

- Ino, você pegou a conversa na metade e pelo que me contou, acho que ele não está achando o que você está achando.

- ...como é?

- Pensa bem. Ele é o kazekage, não pode se portar como um ninja comum. Essa missão dele em Karnak e depois a Floresta são prioridades políticas e tal. O Gaara não tem como focar-se apenas na relação de vocês dois;

- E-Eu sei mas...mas ele não precisava me tratar...

- Você não deu tempo para que ele sequer abrisse a boca.

- Está ficando do lado dele?! Pensei que você era feminista!

- Ai, meu santo! – Sakura procurou se controlar. – Eu só estou tentando fazer você entender que precisa pensar um pouco! Olha, você não reparou, mas quando o Kalui-san ofereceu o quarto para vocês dois, o Gaara ficou diferente quando você disse que não eram um casal.

A loira encarou a amiga, surpresa.

- O Gaara olhou para você de um jeito...irritado. E depois jogou sua mochila e trancou a porta. Se ele realmente não quisesse nada com você, não ligaria para o que você disse ao Kalui-san. Eu sei que não sou nenhuma expert em assuntos amorosos mas...eu acho que o Gaara está tão confuso com o que está acontecendo quanto você.

- M-mas... se é isso porque ele agiu de forma tão fria? Eu não o entendo!

- Cada pessoa tem o seu jeito. Se quiser, você terá de tentar aprender a compreendê-lo. O Gaara é diferente. – a rosa riu. – Para conquistá-lo, terá de usar outra abordagem. Os homens de Suna são diferentes dos de Konoha.

- ...mas como eu vou conseguir me aproximar do Gaara?

- É só ter uma conversa franca com ele.

***flash-back***

É...Sakura aconselhara a amiga da melhor forma que podia e nesse tipo de coisa não tinha muito o que fazer. Olhou no relógio sob a mesinha de cabeceira, decidindo se deitar.

No silêncio, pensava sobre seus anseios e por alguma razão, e controlava para não chorar. O que seria dela á partir de agora? A Santa Deusa dissera que lhe ensinaria magia, mas afinal o que era isso? Tudo o que queria era se ver livre de Astarte e isso parecia ter acontecido graças á intervenção da Deusa. Então...aceitar o pedido Dela seria uma forma de agradecer.

“ Não tenho mais como voltar agora. Devo apenas seguir em frente.”

Suspirou. Precisava descansar. Lentamente sentia que  começava a adormecer e logo mergulhou em um sonho.

Aquilo era o Dive? Não...o mergulho espiritual levava para o interior da própria mente e o que via ali era um lugar que não conhecia.

Era uma espécie de trilha pavimentada em meio á floresta. Sim, uma das trilhas que existiam na Floresta Proibida. Ao que parecia era madrugada e certamente não demoraria para amanhecer. No silêncio, Sakura caminhou, parecendo não se importar para onde a trilha lhe levaria. Ouviu, ao longe, o que parecia ser uma mulher cantando. Era uma melodia bela e melancólica, sem letra. Tão repleta de ternura que a garota desejou que não parasse.

Chegando ao fim da trilha, vislumbrou uma clareira com uma espécie de coreto e imediatamente reconheceu o lugar. Era onde havia conversado em particular com a Santa Deusa. Quando se aproximou um pouco mais, notou pessoas ali.

Uma delas, a mais graciosa e usando trajes alvos e esvoaçantes, reconheceu de imediato. Era a Santa Deusa, com seu rosto de porcelana suavemente maquiado e os cabelos presos levemente por uma tiara de cristal. Ela carregava cuidadosamente algo nos braços, algo que estava envolto por panos e que ela acalentava com suavidade e graça.

Sakura tencionou se aproximar mais porém, parou quando uma pessoa em trajes negros se aproximou da Santa Deusa, que lhe sorriu brevemente. Era um homem belo e jovem, que olhava cuidadosamente para i que a Santa Deusa segurava. Sakura tinha certeza de que conhecia aquele rapaz, pois seus traços eram familiares. Aproximou-se mais um pouco enquanto o rapaz envolvia os braços na cintura da Santa Deusa, permitindo que suas testas se tocassem enquanto olhavam para o que havia entre os dois.

Então, o rosto do rapaz se ergueu na direção de Sakura e, quando a garota viu sua face e os olhos inconfundíveis, sentiu as pernas tremerem e o espanto lhe dominar.

Uchiha Itachi.

~*~

Sakura abriu os olhos com brusquidão, demorando alguns segundos para lembrar-se de onde estava. Remexeu-se na cama e sentiu os raios de sol em seu rosto.

Aquilo foi um sonho...não. Definitivamente não. Mesmo que sua mente ainda estivesse sonolenta, a possibilidade que começou a tomar forma a deixava atordoada. O que Itachi Uchiha tinha á ver com a Santa Deusa?

A verdade pode ser exatamente o que você está imaginando.

- Oh, Sakura. Que bom que você acordou.

Ino sentou-se na cama ao lado, secando os cabelos úmidos com uma toalha e então começando A penteá-los.

- O dia está lindo e  você deveria experimentar o banho. Consegue ser mais revitalizante do que o do hotel em Karnak!

- ...que horas são?

- Se está com medo de se atrasar para encontrar a Santa Deusa, esquece. O tal velhinho Kalui bateu na porta para avisar que a Santa Deusa tinha um compromisso e iria te ver mais tarde.

Sakura tornou a deitar a cabeça no travesseiro. Droga! Justo quando desejava perguntar sobre o sonho...aquilo estava a incomodando tanto que precisava urgentemente contar a alguém. Mas não para Ino. Talvez Kakashi...sim, iria vê-lo.

~*~

Ela o encontrou em um local um pouco afastado das construções, em uma pequena clareira coberta pela copa das árvores que permitia apenas alguns feixes de luz do sol. Resolveu se aproximar sem fazer ruído, controlando o chackra para que não a notasse. E isso se mostrou uma boa idéia.

Oculta entre as folhagens, Sakura observou Kakashi treinar sozinho. No passado, chegara a fazer isso, mas o interesse era de aprender alguma técnica nova. Agora, seu interesse era simplesmente observar seu sensei. Ela não sabia se isso era um sinal de evolução ou regressão como shinobi. Bom, que se dane.

Kakashi havia concentrado seu chackra e parecia pronto a invocar alguma técnica e então ouviu a voz dele.

- Não precisa ficar se escondendo, Sakura.

Ela corou e saiu das folhagens, sem saber o que fazer com as mãos.

- D-desculpe, eu não queria espi...mas...como voc~e notou minha presença? – indagou, emburrada. – Eu tinha certeza de que controlei meu chackra para não ser percebida.

- Eu tenho os meus métodos.

- E posso saber quais seriam esses?

- ...eu pensei que hoje você ficaria com a Santa Deusa.

“ Fugiu do assunto” – É, eu também pensei, mas parece que ela tinha algo para fazer e então a verei mais tarde.

Kakashi observou a garota e recordou-se da conversa que tivera com a Santa Deusa na noite passada. Realmente não conseguiria esconder aquilo de Sakura e sentia que ela queria lhe dizer algo, esperando só o momento para o fazê-lo.

- Vai fazer alguma coisa agora?

- Não. Todos estão ocupados, até mesmo a Ino. Pensei que...bem, passar o tempo com você para conversar.

- É...eu também gostaria de conversar...e acho que esse é um bom momento.

Sakura engoliu em seco. Havia encorajado Ino a falar com Gaara e acabara decidindo fazer isso com Kakashi. Era preciso saber se o que os dois estavam tendo era algo realmente sério.

Sentaram-se na relva debaixo de uma frondosa árvore e permaneceram em silêncio por um tempo.

- Kakashi...o que nós somos?

Então era sobre isso que Sakura queria conversar?

- Sakura eu..eu gosto muito de você. E não quero te ferir.

- Você disse isso uma vez.

- É...e creio que depois disso nós já tínhamos decidido. Se quer saber, eu nunca tive um relacionamento duradouro e talvez por isso eu não entenda o que é preciso dizer com todas as letras e daquela forma tradicional encontrada em livros e filmes.

- Não...não é isso. – murmurou a garota. – É que..eu nunca consegui ter um relacionamento e...bom...eu sei que sou diferente, talvez uma antiquada diante das outras pessoas da minha idade.

Kakashi sorriu por trás da máscara. Sabia que Sakura nunca ficara com nenhum rapaz – fosse por ela sempre dedicar-se aos estudos ou o que todos sabiam: seu fascínio por Sasuke e os ciúmes de Naruto.

Enquanto Sakura era praticamente intocada,ele era um conquistador barato que fingia ser um homem sensível, romântico e de passado sofrido para despertar o interesse de certas mulheres. Por que isso era ele se satisfazer com uma prostitua que mandara vestir-se como a garota ao seu lado.

“Droga! Jamais terei coragem de lhe dizer isso!”

- Perante os outros..nossa união é...bem, diferente do comum.

“ Então é isso, Sakura? Está temendo a opinião de Konoha, eus pais e amigos. Não posso te condenar, pois sei que isso não é fácil. Eu poderia enfrentar mas você...pra você confirmar um relacionamento com um homem mais velho, de fama duvidosa e que foi seu sensei talvez...seja complicado demais.”

- Você ainda gosta do Sasuke?

Sakura sentiu como se uma kunai fosse fincada no seu peito. Como Kakashi poderia duvidar de que ela ainda gostasse de Sasuke depois de tudo que haviam tido? Com Kakashi ela tivera algo tão especial que...

- Sensei. – sua voz era fria. – Certamente virgindade não tem qualquer importância para você, mas eu jamais pensaria em me entregar a alguém por carência ou impulso. Eu desejei e ainda desejo que você seja o primeiro. – apesar do rubror lhe cobrindo a face, continuou. – Se eu..se eu gostasse do Sasuke de verdade eu...teria me entregado quando ele me procurou para isso!

Daquilo Kakashi não sabia e, dominado por um misto de surpresa e ciúme, indagou.

- Quando foi que isso aconteceu?

- ...faz alguns meses e...eu não queria entrar nesse assunto!

- Sakura, queiram ou não, Sasuke é considerado um criminoso de Konoha. Se ele adentrou na vila e machucou você, teria de ter relatado á Anbu ou a hokage!

- ...ah, todo mundo escondeu de mim que eu tinha uma bomba genocida dentro da alma e nem reclamei disso! Se eu falasse sobre o Sasuke, só causaria problemas e faria com que o Naruto tomasse decisões imbecis!

Kakashi percebeu que se continuasse com áqüea conversa, tomaria um rumo pior. Provavelmente Sakura estava em um daqueles dias fatais

- Você gostaria de ser vista tendo um relacionamento público com o homem que foi seu sensei?

- ...eu...gostaria. Mas não sei se ele estaria disposto a trocar sua liberdade para assumir um caso com uma garota imatura.

Período de silêncio. Apenas o suave som das cigarras na floresta.

- Eu posso dizer que curti minha juventude e me pergunto se os meus sentimentos poderiam impedir que você aproveite a sua.

- ...como um dos ninjas mais inteligentes de Konoha pode estar falando uma besteira dessas?

- Han...talvez porque eu esteja ficando velho.

Sakura riu. Ela era mesmo uma idiota em ficar querendo esclarecer algo que já estava esclarecido há muito tempo.

Subitamente a garota debruçou-se sobre o ninja, abaixando-lhe a máscara de forma rude e o beijando com ardor. Kakashi deixou-se levar, a abraçando de modo que seus corpos colassem.

- ...se quiser, quando voltarmos á Konoha, entraremos na vila de mãos dadas. O que acha?

Sakura apenas sorriu. É, ele era a personificação do homem que sempre sonhou em ter ao seu lado. Porém, quanto á voltar á Konoha...

“ Talvez eu não volte para lá.”

~*~

Fazia tanto tempo que Temari não acordava disposta. Como era o hábito, arrumou sua cama, abriu a janela para respirar o ar puro e foi lavar-se rapidamente. Enquanto molhava o rosto, lembrou-se do que acontecera na noite passada. Suspirou satisfeita, podendo permitir-se sorrir.

Voltou ao quarto e tratou de se vestir. Mas desistiu de pegar o quimono preto. Ali, não queria ser a guerreira dos ventos. Ali, diante Dela, queria ser apenas Temari. Pegou então um vestido De linho belo e simples. Olhou-se no espelho, constatando que ficava bem diferente com aquilo. O traje emoldurava suas curvas de forma discreta, o caimento era ótimo e a tonalidade verde-musgo combinava com sua pele. Pegou na bolsa o estojo de maquiagem que Ino lhe dera e passou uma sombra quase da mesma cor que o vestido, escolhendo um batom suave. Quando começaria a prender os cabelos do jeito de sempre, desistiu. Manteve-os soltos, exceto por um delicado prendedor em uma das laterais.

Saiu do quarto, cumprimentou as sacerdotisas da casa e saiu para caminhar. O sol estava tão agradável e ela sequer se lembrava dos problemas. Quando finalmente chegou á construção em que sediava-se a biblioteca, encontrou o velho Kalui carregando uma notável quantidade de livros grandes e aparentemente pesados.

- Precisa de ajuda, Kalui-sama?

- Oh, não se preocupe, eu posso carregar isso sem...ai!

Temari trincou quando o homem arqueou o corpo devido á dor na coluna e prontamente foi ajudá-lo. Mesmo que ele alegasse poder fazer aquilo, a loira insistiu em ajudar e o velho acabou aceitando, constrangido. Os livros eram mesmo pesados e Temari tratou se pegar os mais pesados. Caminharam por um tempo através da trilha pavimentada, conversando sobre a natureza até que, ao fim de algum tempo, Temari perguntou.

- Aonde estamos indo?

- Ao retiro de estudos da Santa Deusa. Ela pediu que eu trouxesse este livro pois precisava pesquisar certas coisas.

Temari sentiu um gelo no estômago. Queria encontrar a Santa Deusa e conversar com ela, mas para isso queria ter se preparado melhor e não assim tão repentinamente. Mas não poderia voltar agora, principalmente quando já avistava um belo templo á céu aberto e, sentada em uma poltrona acolchoada diante de uma mesa rodeada por livros estava a Santa Deusa.

Temari diminuiu a velocidade dos passos. A Santa Deusa continuava exatamente igual. A atenção voltada para os livros e o que escrevia...como quando tinha aulas com Ela, aprendendo sobre magias e tradições.

Kalui se aproximou da mulher e ela viu o velho homem dizer algo que fez a Santa Deusa encará-la. Temari permaneceu imóvel e só voltou a respirar quando ouviu a voz Dela.

- O que fazes aí? Aproxime-se, Temari.

Assim a loira fez e  então a Sata Deusa colocou-se de pé, fazendo a jovem perceber que estava mais alta do que sua Senhora.

- Você...cresceu...já é uma mulher feita, sem dúvida. – a deusa sorriu amavelmente, como se, á medida que olhava a outra, lembranças viessem. – Fico feliz que esteja bem.

- Minha Senhora! – Temari se ajoelhou. – Não houve um dia sequer desde que parti que não deixei de pensar em ti e neste lugar, ansiando por voltar.

- ...pois aqui está você. Poderá ficar quanto tempo quiser.

Temari sorriu tristemente ao ouvir e controlou uma possível lágrima. Como desejava ouvir aquilo! Mas não teria como ficar ali depois de estar tão manchada com sangue.

- Kalui, poderia avisar Sakura para adiar o encontro para o período da tarde? Eu gostaria de conversar com uma das minhas sacerdotisas em particular.

“ Sacerdotisa? Eu já não sou mais uma sacerdotisa.”

Quando o homem desapareceu na trilha, a Santa Deusa tocou o ombro de Temari, ordenando para que ela se levantasse e a seguisse.

Não caminharam muito, apenas até a cachoeira que havia nas proximidades com o riacho que Temari reconheceu de imediato. Fora ali, naquela relva que ela e Shikamaru haviam se entregado no começo da noite anterior. E, constrangida, viu a Santa Deusa livrar-se do manto roxo que usava e colocá-lo sobre a relva para que ambas pudessem sentar...exatamente no lugar em que havia transado com Shikamaru.

“ Será que ela sabe que eu e Shikamaru...droga, ela sabe, sempre sabe de tudo. Independente de eu ter sido sacerdotisa e mesmo não sendo mais, praticar o ato sexual em um território sagrado com alguém que não tenha feito os votos é um pecado passível de repressão. Eu não pdoeria ter me entregado ao prazer nessa floresta sagrada á qual não pertenço mais.”

- Todos os lugares são sagrados. – os olhos da Deusa estavam fixos no riacho. – E se o sentimento é verdadeiro, não há pecado. Sente-se ao meu lado, Temari.

Assim que a loira o fez, a deusa continuou.

- Fico aliviada em saber que ocorreu tudo bem e que seu primeiro contato com um homem tenha sido aqui.

- Mas...esse não foi o meu primeiro contato.

A Santa Deusa a encarou por um tempo e então descobriu, mas nada disse.

- Me perdoe, Senhora. Eu sei que não deveria.

- Houve sentimento sincero então não há razão para se desculpar. A natureza a abençoou, por isso escolheu aqui. Mas...porque não aguardou para que o seu amor fosse o primeiro?

Temari sentiu-se um pouco mais á vontade e respondeu, cabisbaixa.

- E- eu não sei. Impulso, curiosidade, pressão...várias coisas do mundo em que vivo agora. As coisas mudam.

- O mundo de hoje renovou e alterou certos valores. E isso é tanto positivo quanto negativo. Só penso que não se arrependa, Temari. Teu corpo puro de sacerdotisa foi entregue na primeira vez por um homem pelo qual nada sentia. Mas esse homem, mesmo sem saber ou valorizar devidamente uma sacerdotisa, poderá ser perdoado e recompensado pelo destino se ele houver nutrido algo de bom por você naquele curto momento.

Temari sorriu. O tal homem nada nutrira por ela, pois havia sido apenas mais uma cliente pra que ele pudesse ganhar dinheiro. Mas falar isso á Santa Deusa seria chocá-la.

- Temari...você aprecia o caminho de vida cujo destino trilhou para você?

Se havia algo na Santa Deusa que Temari sempre temera e admirara era o fato de que, quando preciso, ela ia direto ao assunto, induzindo que ninguém escondesse nada.

- Eu...eu aprendi a amar minha vila, honrar meu país, obedecer á minha família e me orgulhar de ser uma shinobi. Assim, posso dizer que aprecio minha vida.

- ...e era isso o que queria para si?

Temari pensou sobre aquilo. A verdade é que sempre desejou viver na Floresta Proibida e durante anos sonhou em voltar, alimentando esperanças, agarrando-se á memórias nos tempos difíceis...mas agora, percebia que gostava de ser uma ninja, de enfrentar batalhas e sair em missões. Apreciava treinar suas habilidades e admirar os resultados obtidos. Ao lado de Kankurou e Gaara tinha uma família unida pelo sangue, alunos que dependiam de seus ensinamentos e subordinados que necessitavam de suas instruções.

“ Eu adoro a vida que tenho porém...amo este mundo no qual vivi. Sinto que preciso voltar para encontrar meu verdadeiro desejo.”

- Temari...você quer voltar?

Aquela pergunta Temari tinha a resposta.

- Sim! Eu desejo isso com todo o meu coração, mas sei que não é possível. Mesmo que eu não tenha mais o direito de tornar a servir á Santa Deusa e á Magia, eu não consigo deixar de ansiar por isso!
- ...porque alega não ser possível tornar á servir á mim ou á Magia?

Os olhos de Temari ao encará-la eram um misto de surpresa e sofrimento.

- Minhas mãos... – murmurou. – Minhas mãos, minha alma e minha mente estão manchados com sangue! Não posso voltar a ser uma sacerdotisa.

Morgan não demonstrou qualquer emoção diante do desabafo da jovem. Ela realmente sofria por desejar algo que era impossível obter pelos padrões religiosos. Uma sacerdotisa não podeia servir á deusa e a magia se já houvesse praticado crimes e tirado vidas. Á menos que a Santa Deusa perdoasse esses pecados e permitisse que a ovelha retornasse ao rebanho.

- ...se você realmente se arrepende dos  crimes que cometeu, deseja retornar do fundo de seu coração e está disposta a retomar os ensinamentos, acredito que poderá tornar a ser uma sacerdotisa.

Os olhos de Temari brilharam ao ouvir aquilo, porém ela suspirou pesadamente.

- Isso é tudo o que eu queria. Mas mesmo que a Senhora me perdoasse, e não conseguiria aceitar porque...porque minha fé se sustenta nessas crençae não quero alterá-las pois dentro de mim isso não posso aceitar.

- Então não deveria estar sofrendo por almejar algo que não aceita obter de volta.

- Eu sei...eu sei...

Sabaku no Temari era uma mulher forte, porém diante de sua mentora, mostrava a fragilidade de uma garota recém-saída da adolescência.

“ Temari...você possui uma força espiritual e uma firmeza em convicções que a teriam tornado uma sacerdotisa como poucas. Sim...se não houvesse trilhado um caminho de batalhas, poderia ter se tornado uma grã-sacerdotisa. Eu...eu não deveria ter permitido que seu pai a levasse daqui, deveria ter imposto outra condição. Eu sou a culpada por essa tristeza que carrega. Assim como sou culpada pela tristeza de muitas outras pessoas.”

Morgan desejava pedir desculpas áquela menina. Sim, sempre seria uma menina, pois agora recordava-se de quando recebera Temari ainda bebê e ajudara a lhe educar, amando-a quase como uma irmã mais nova ou mesmo uma filha. Mas seu papel como Santa Deusa não permitia que ela demonstrasse remorso diante de um devoto. Assim, apenas pegou a mão da jovem entre as suas,fazendo Temari perceber o quanto as mãos da Santa Deusa eram pequenas e macias.

- Minha querida. Tuas mãos estão manchadas de sangue mas teu espírito e tua fé permaneceram irrevogáveis. E uma alma límpida e sincera é muito mais digna do que um corpo imaculado cuja alma esteja corrompida. Eu lhe disse que poderia voltar porque acredito em você.

- Mas...minhas mãos...

- Temari, eu lhe confidenciarei algo. Eu posso ver a alma das pessoas e considero a pureza do espírito muito mais digna do que a da carne. Por isso, permiti que mãos mais manchadas de sangue do que as suas pudesse me tocar diversas vezes.

Temari franziu as sobrancelhas, mostrando claramente que não compreendia aquilo. Porém, a Santa Deusa logo tratou de mudar o foco da conversa.

- De acordo com os preceitos, você não poderá tornar a ser sacerdotisa mas, o seu coração almeja poder servir á Santa Deusa e os ideais da Floresta Proibida. Correto?

- ...sim.

- Entretanto, você ama sua pátria, orgulha-se de ser uma ninja e luta por aquilo em que acredita. Correto?

- s-sim.

- Então, eu tenho uma proposta a lhe fazer e deve me responder com sinceridade se aceitará ou não.

Temari estremeceu ao notar que os olhos da Santa Deusa estivam diferentes e a aura que exalava era aterradora.

- Sabaku no Temari. Estaria disposta em servir á Mim e á Floresta Proibida como sagrada Sacerdotisa Guerreira?

~*~


11 comentários:

Leka disse...

Olá!
Que bom...uhuuu...um capítulo!kkkkk!
Nossa essa da Temari sacerdotisa guerreira seria bem interessante...na minha opinião tem tudo a ver com ela, mas coitado do shikamaru!

Até que enfim a Sakura fez o que é certo!huahuahua...deu um bom conselho pra Ino!kkk!
Adoreiiii!

Sim estou vendo Witch Hunter Robin e tô gostando bastante! A cena do primeiro capítulo no topo do prédio onde ele aparece e pega o cara foi massa...a na hora que ela chega, muda o símbolo e coloca fogo em tudo e ele depois a recrimina me fez lembrar o sasuke quando era frio!kkk!
O visual deles é muito legal...ainda estou bem no comecinho, mas estou curtindo a vera...a sua dica foi da hora!kkkk!

Também assisti a continuação do ova do hellsing que saiu a poucas semanas...muito bãooooo!huahuahuahua! Ele de drácula com aquele bigodinho ficou bem das antigas!kkkkk! E a Cellas tá ficando cada vez melhor!kkkk! Agora ela bota medo!huahauhua!

bjs, paz e boa semana!
http://guerradosmundosleka.blogspot.com/

HONORATO,Sandro. disse...

Tsu :)
Muito bom o texto kkkkkk

Destaque pra Ino la perdendo a virgindade né kkkkkkkk

Adoro seus Fanfics >.<

Beijos

Sora-Chan disse...

Awww desculpa Tsu-Chan mas o teu blog é tão profissional! Além do mais aquele teste eu mandei principalmente para uns blogs que estavam a ser plagiados! Vê-la que horror detesto plágio!!!

JessicaBarros disse...

Esta AWESOME amei amei^^
Estou ansiosa pelo próximo!!

Bjinhos :3

Ps: Ha bues que n venho aqui!

Dantop♥ disse...

Oii Tsu, amei a fic!!!!
Tah perfeita♥
Eu disse q vc podia confiar q eu ia ler e comentar hj ainda [tah certo q falta poco p meia noite, masss]
Que bom q vc conseguiu postar, gostei de vdd.
Vlw pelo coment no meu blog e desculpa esquecer de responde-lo.
Bjãoo♥

Anônimo disse...

Aiuaiaiaiaai, a gente coeça a ler com tanta excitação, e quando percebe já acabou, aiaiaiaiaiaiai, coisa problemática !!! Adorei Tsu.!

Ass: Elines
xxx

Tsu disse...

Oi Leka!
Sim, eu demorei mas finalmente ostei um capítulo!
Sabe o conceito da Temari como sacerdotisa guerreira foi algo que sempre tive em minha mente desde que comecei a escrever a fanfic. Como você disse, ela realmente tem jeito pra coisa, com toda sua força e posutra. Hum...e, o que o Shika vai fazer??
Sobre Witch Hunter Robin...ah sim a cena do capítulo inicia é muito bacana...o Amon é o líder e como tal se sentiu meio incomodado ao ver uma garota vencer facilmente um oponente que ele não conseguiu vencer. Mas não acho que o Amon pareça o Sasuke (afinal, eu odeio o Sasuke kkk).
Então o novo OVA de Hellsing eu ainda não vi, acredita? Preciso baixar todos os OVAS de novo para guardar em um dvd...ah mas o Alucard sendo o conde Drácula precisa do bigode né? A Celas foi uma personagem que evoluiu bem na trama, sou muito mais ela do que a Íntegra.
bjs e bom fim de semana!

Oi Jéssica1 Obrigada por ter curtido a fanfic! Aguarde porque muitas coisas surpreendentes ainda vão acontecer!
bjs

Oi Dantop!
Ah valeu por comentar e desculpa ter te obrigado ontem hohohohoh. Sem problemas a gente já está conversando no msn aí trocaos mais idéias então ^^. Desde já valeu por estar sempre aparecendo no blog!

Oi Eline!
Nhaaa desculpa fazer os capítulos de forma atraente e acabá-los subitamente! kkkk Sorry, mas obrigada por ter curtido a fic!

Oi Jéssica e Sandro! Obrigado por terem curtido a fic!!!! E aguardem para mais coisas que irão acontecer!

Oi Sora!
Tudo bem, eu só estava brincando! Meu blog profissional? Que isso! Eu nem ganho dinheiro com ele kkkkk. Somos duas pessoas que odeiam e abominam plágio! Tem que se unir memso contra isso!
bjs

Evandro Raiz Ribeiro disse...

Oi Tsu,
Desculpe-me comentar por aqui, mas parece-me que você não conseguiu fazer o download do ebook. Se teve algum problema me avise que faço outro código para você.
um abraço
Evandro

Tsu disse...

Oi Evandro!
Desculpa o meu sumiço e falta de resposta! Foi um deslize de minha parte..é que essas últimas semanas me aconteceu tantas coisas, problemas, corre-corre, coisas para fazer...eu arranjei um tempinho agora e acessei o site que tem seu livro...para não instalar aquele programa que possibilita ler no pc, estou lendo o livro on-line...ele já começa direto na história(no modo on-line?) porque não vi a referência e a introdução.
bjs!!!

Anônimo disse...

quando vc vai postar o capitulo 26 eu espero anciosa por ele, por favor fale do gaara e dqa ino onegai beijos sua estoria é 1000.
ass: diana

Tsu disse...

Oi Diana!
Primeiramente..obrighada por curtir a fic! Eigada por me cobrar a postagem do novo capítulo..prometo que essa semana se tudo der certo, haverá post novo sobre!
Ah eu também curto Gaa/Ino! Um casal que surgiu assim do nada e que tem muitos fãs1
bjs

Confira Também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...