12 de jul de 2010

O Feitiço de Áquila


Em uma época revolucionária que foi a década de 80, houve certas produções cinematográficas que se dedicaram em criar novas fantasias baseadas em contos de fadas. E os resultados obtidos perduraram até hoje, tornando-se "cults". O célebre O Feitiço de Áquila (Ladyhawke, 1985) é o melhor exemplo. Com uma história bela e fantástica, personagens carismáticos e um roteiro extremamente criativo, é um daqueles contos que fixam em nossas memórias.

O filme narra uma aventura fantástica e um romance ambientados na Idade Média. Ao fugir das masmorras de Áquila, o jovem ladrão Phillipe (Mathew Broderick) é perseguido por cavaleiros do bispo até ser salvo pelo capitão Navarre (Hugher Huer). Severo mas honrado, o capitão possui um grande segredo quando, ao cair da noite ele e a águia que o acompanha desaparecem misteriosamente ao mesmo tempo em que surge um lobo negro e uma belíssima mulher.

Á princípio, o hilariante Phillipe não compreende o que está acontecendo mas, depois de uma súbita fatalidade ele descobre o surpreendente destino que pesa sobre Navarre e a bela mulher, Issabeau (Michele Pfeiffer). Vítimas de uma terrível maldição imposta pelo bispo de Áquila, o casal apaixonado foi condenado á jamais se encontrar. De dia, Navarre é humano e Issabeau é uma águia. Á noite, Issabeau volta a ser humana enquanto Navarre torna-se um lobo.
Assim os amantes estão sempre juntos, mas eternamente separados.


Só existe uma única forma de quebrar o feitiço e para isso os amantes deverão retornar á Áquila, enfrentando diversos perigos para então afrontar o bispo de Áquila. Em breve haverá um eclipse e nesse efêmero momento em que Navarre e Isabeau ficarão ambos na forma humana, o bispo deve contemplá-los para que a maldição se acabe.. Contando com a ajuda de Phillipe e um velho monge, a jornada é uma corrida contra o tempo.

A produção do filme é sublime. Para os dias de hoje pode até parecer um pouco ultrapassada, mas ainda assim é a bela e possui toda a magia das obras de fantasia da década de 80. A cena em que Phillipe contempla o rápido momento do nascer do sol quando, por segundos Isabeau e Navarre são capazes de se olhar é quase capaz de produzir uma singela lágrima em nossos olhos.

A atuação de todos está perfeita. Michelle Pfeiffer linda, Hugher Hauer galante e misterioso e Matthew Broderick sempre super divertido, fazendo os comentários na hora certa. E o enredo é como uma fábula digna dos contos de fadas, com um poder de encantar jovens e adultos.


O Feitiço de Áquila é uma obra-prima única capaz de conquistar pessoas de todas as idades. Um conto de fadas original como não se vê mais hoje em dia. Com um roteiro, repito, brilhante, é uma amostra da verdadeira qualidade cinematográfica que, mesmo carecendo de grandes efeitos especiais é infinitamente superior á muitos filmes atuais. Mais do que recomendado.


~*~

5 comentários:

Cassie disse...

Eu assisti esse filme recentemente na casa de uma amiga. É realmente encantador, a história é criativa e temática medieval é sempre interessante, Recomendado também1

William disse...

Tsu,
Grande filme com a Deusa Michelle Pfeiffer. No meu blog já contei um pouco sobre a carreira dessa maravilhosa atriz.
Esse filme é um dos clássicos na carreira dela.
Bom domingo.

Tsu disse...

Olá Willian!
Sim, Michele Pfiffer é uma grande atriz e esse filme um clássico da fantasia. Aliás esses filmes da década de 80/90 com temática medieval eram realmente de encantar adultos e crianças. Lembro que no Feitiço de Áquila minha mãe ficou maravilhada.

Guiherme disse...

Poxa esse filme marcou muito a época em que estudava história medieval na escola. Aliás foi nessa época que comecei a me apaixonar por cinema. Muitas produções do tipo foram feitas na década de 80 e todas são maravilhosas. Vale a pena!

Tsu disse...

Tem razão Guilherme. A d[écada de 80 brindou com muitos filmes de magia e temática medieval. E Feitiço de Áquila possui uma história deveras envolvente.

Confira Também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...